segunda-feira, 4 de abril de 2016

Encanto em Flor


                            


A Serra cobre-se num branco manto
Donde nascem as cerejas em flor
Polvilhadas p’lo conterrâneo amor
Do ceifar neste campesino espanto


E já me enamoro deste recanto
Que lá jaz na Beira em todo o seu esplendor
Ladeado por serras de louvor
Governadas por um silêncio santo

Inspiro a aragem e num entretanto
Deleito-me no familiar sabor
Das memórias de júbilo e pranto

E dou as minhas graças ao criador
Por viver um horizonte em que implanto
Este resplandecente encanto em flor


   Aos Travassos e aos Salvados do Fundão

Sem comentários:

Publicar um comentário