domingo, 19 de novembro de 2017

A Solidão dos Sábios III

III
No meu recanto da paz
Os pássaros cantam no silêncio
As flores renascem numa pressa voraz
E o mundo cresce como me apraz
Ao contrário, é roso, crava, hortênsio


A minha mente é um pintor
A minha realidade, uma tela,
E pinto a ficção com o ardor
De querer ver na ausência de cor
O preencher de uma aguarela.

In Psicadélico

Apresentação dia 26 de novembro pelas 16 horas no Templo da Poesia em Oeiras

Sem comentários:

Publicar um comentário